segunda-feira, 28 de março de 2011

"Tempo ganho"



Um ano tem 12 meses. 365 dias. 8760 horas. 525600 minutos. Quanto desse tempo temos dedicado à Deus?

Temos a dádiva de viver em uma época em que as coisas acontecem muito rápido: fast-food, comida congelada, veículos cada vez mais velozes e máquinas que trabalham por nós. 

A cada dia o homem busca mais rapidez e funcionalidade. Pra quê? Para termos mais tempo livre. Tempo livre para quê? Para preenchermos com alguma outra tarefa!

Preenchemos nosso tempo com amigos, escola, trabalho – algumas vezes temos dois empregos – sem falar em tantas outras coisas que realmente só servem para ocupar um espaço no relógio. Mas deixamos de lado um tempo que deveria ser reservado para estar com o Pai.

Por que não colocar na nossa programação do dia um tempo exclusivo para ler a Palavra, conversar com o Pai, estar com o Pai? Algumas vezes estamos tão eufóricos, envolvidos nas nossas tarefas seculares que sequer paramos alguns segundos antes da refeição para agradecermos pelo alimento.

Muitas vezes quis que o dia tivesse 30 horas. Mas se o dia tivesse realmente 30 horas, o que eu faria com esse tempo extra? Será que o reservaria para Deus ou ocuparia todo ele com mais coisas que deveriam estar em segundo plano?

Mas como nosso Deus é bom. Não dá pra ignorar o fato de que enquanto corremos pra cima e pra baixo tentando resolver nossos pepinos, Ele está o tempo todo atento, para não deixar passar o momento de nos voltarmos para ele e chamarmos o Seu nome!

Por isso devemos separar um tempo; seja uma hora durante o dia ou alguns minutos antes de dormir; para agradecer esse amor todo que ele tem por nós, e retribuir essa espera.

        God bless you!


                         Alex de Borba

Programação!


segunda-feira, 14 de março de 2011

Confiando no nosso Senhor


Os cachorrinhos são considerados os amigos mais fiéis do homem. Independente da situação, eles estão sempre a nossa espera, com o rabinho balançando, como se o mais importante fosse estar conosco.

Podemos até brigar, falar de forma grosseira ou até mesmo quando esquecemos de dar a sua comida, eles cotinuam felizes em estar conosco.  O amor deles por nós realmente é incondicional. O que querem é nos agradar e o que desejam é estarem sempre ao nosso lado, mesmo quando não entendem as nossas atitudes. A impressão que tenho é que quando estão conosco, eles verdadeiramente descansam.

Vejo que temos muito a aprender com eles, será que sempre estamos querendo agradar ao nosso Pai? Será que mesmo quando Ele nos pede para esperar, ou então nos dá uma bronca, ficamos ali a sorrir e com o coração realmente submisso?

Em João 4:34, “Disse Jesus: A minha comida é fazer a vontade daquele me enviou e concluir a sua obra.” Qual tem sido a nossa comida? Qual tem sido a nossa vontade?

Devemos caminhar buscando a verdadeira vontade do Pai para nossas vidas e indo atrás de um coração simples, submisso e obediente. Confiando que  o nosso Pai vai providenciar a nossa comida, sabendo que tudo que provém Dele é confiável e sempre vai estar no tempo certo.

Precisamos viver com a  plena certeza de que os caminhos do nosso Senhor são sempre os melhores, mesmo quando por vezes não compreendemos. O principal é permanecermos firmes aos pés de Cristo, independente da situação!!!

Deus te abençoe!

                            Josi